últimas notícias

Colunas

1 11/04/2021 17:46

O Sentimento de tristeza e o impacto na pessoa idosa

Quando nos colocamos a falar sobre tristeza, isso ganha um impacto muito mais relevante se direcionamos este tema especificamente a uma pessoa idosa. 
Isso se dá por diversos fatores que são basicamente a combinação da história de vida inerente a cada pessoa, somando-se a fatores intrínsecos ademais da forma com que esse indivíduo e sua família se deparam à nova realidade em que se encontra. 
Antes de continuarmos, gostaria de esclarecer que o sentimento de tristeza, segundo o dicionário da língua portuguesa, é o estado afetivo caracterizado pela falta de alegria, pela melancolia, mas trataremos este sentimento sob uma ótica mais detalhada. 
Ao falar do primeiro fator ao qual mencionei, é importante levar em consideração que a história que leva uma pessoa até a sua fase geriátrica da vida, essa pessoa deixa para trás muitas peças importantes que montaram sua história de vida, como entes queridos e também varias funções as quais exerceu. Essas lacunas trazem a tona a sensação da nostalgia, frustrações e também vazios interiores. 
Devemos ter em conta que individualmente, podemos apresentar fatores que podem predispor aos eventos e que podem agravar os sentimentos de tristeza, aumentando seu impacto, esses fatores normalmente são de origem genética, ou seja a pessoa nasce com esta característica. 
Ao estar com uma idade mais avançada, algumas pessoas e o seu entorno familiar se deparam em uma nova situação para a qual normalmente não foram preparados, principalmente devido ao estado de saúde da pessoa idosa. Em muitos casos, essa pessoa demanda mais atenção do que vinha apresentando até então, sendo assim, necessita mais dedicação de seus familiares, que por sua vez não tem o devido preparo, tempo (trabalho e condições) ou apoio para essa nova realidade. 
A pessoa idosa ao se enfrentar com a junção de todos esses fatores, que se cronificam com o passar do tempo, mantendo e piorando o quadro, e sem haver a devida melhora, tem início um impacto importante em sua vida e que será ainda maior. 
O agravamento e manutenção deste quadro de tristeza, uma vez não resolvido os fatores, pode evoluir para um quadro que tanto os profissionais que atendem este paciente como a sua família devem estar atentos, que é a depressão, um quadro que ainda gera muitos tabus e preconceitos em nossa sociedade, sendo muitas vezes escondidos ou negados pela família, o que gera um número alto de sub-notificações, e muitas vezes sem o devido tratamento. 
É muito importante diferenciarmos tristeza, que é um estado afetivo, de depressão, que é uma doença, e portanto deve ser trata com a maior prudência possível. 
Temos que estar atentos aos sinais que a pessoa idosa vem demonstrando, e não deixar passar desapercebidos ou minimizar tais sintomas, pois o sofrimento psicológico que advém desta situação é muito grave para aquele que padece. 
É de grande valia que as famílias tenham o aparo de todo o serviço de saúde de forma multidisciplinar, para que a rede de proteção para essa pessoa idosa, não seja frágil e ela padeça sem o devido acolhimento. 
Escutar aquele que nos trouxeram até aqui, é uma obrigação moral e um dever social de todos nós, visto que esta pessoa busca muitas vezes algo muito simples, que todos nós podemos lhe dar, que é a atenção e o respeito.  

Dr. Wenceslau Alonso. 
Médico   
CRM-BA 18339
Instituto 3ª Idade Ativa.


Categorias

 Terceira Idade Ativa 






Av. Rio Branco, nº 741- Centro - Canavieiras/BA. CEP - 45.860-000
Tel.: (73) 3284-3905 | 9 9900-9930 (Whatsapp) - A Comunicação na Era Digital
© 2010 - Rádio Costa Sul FM - Todos os direitos reservados.